sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

BLOQUINHOS MAROTOS




Muito se fala, mas temos que continuar batendo nessa tecla, aqui pelo Guará, obedecer leis vigentes não faz parte do manual da turma que chega para tomar conta da cidade,
principalmente quando se trata do plano urbanístico, que ha muito não é respeitado por aqui. Cada um que chega, talvez por comodidade, simplesmente deixa rolar.
Com isso o Guará está se tornando uma cidade sem padrões mínimos de convivência social entre seus moradores, pois as ruas estão deixando de serem residenciais para se transformarem em verdadeiros centros comerciais, criando sérios problemas de mobilidade e de vizinhança pacífica. O que mais me intriga em tudo isso é a proliferação de puxadinhos, gambiarras e quiosques, que não me deixam mentir. Porém, atentem para os bloquinhos que surgem do nada nas quadras residenciais, onde não é permitido tais edificações.
Parece que algum apadrinhado recebeu umas dezenas de licenças, que já deveriam ter sido cassadas ou revistas, mas dando uma volta na cidade, encontramos dezenas deles já construídos e alguns sendo construídos na encolha.
Muita gente querendo saber qual o santo protetor que dá cobertura para mais esse acinte, pois a construção de tais edifícios nas entradas de quadras, além de não serem permitidas, estão gerando uma série de aborrecimentos aos moradores das quadras e, a principal das queixas é a falta de estacionamentos.
Basta ! O Guará não aguenta mais tanto descaso.