quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

QUALIFICAÇÃO




O Caixa Preta um grande gozador não deixa nada passar em branco, principalmente esses planos mirabolantes dos nossos aprendizes de feiticeiros.
Agora o alvo é essa enganação do Renova-DF que está parecendo mais uma das velhas armações que nos acostumamos a ver por essas bandas, cheias de conversas mais sem nada de útil para o Guará e o DF, querem nos dar o título de trouxas de qualquer maneira.
Segundo o velho Caixa a Universidade de Havard lá dos EU está querendo fazer um estudo, para quem sabe nortear futuros projetos por lá, pra isso já mandou uma equipe aqui pro Guará pra estudar o me engana que eu gosto, desculpem, o Renova-DF lançado com pompas e circunstâncias, com a presença dos puxas sacos de plantão e mais uma cambada de desocupados, que estão sempre de olho numa boquinha, sempre em busca de uma sombra na jaqueira frondosa do dinheiro público, fruto do suor do contribuinte que financia essas armações contra os mesmos. 
O cabra disse que resolveu assistir as aulas de qualificação, que estão sendo ministradas nas praças abandonadas do Guará, uma coisa de primeiro mundo.

sexta-feira, 26 de novembro de 2021

VIVA A FALSIDADE




Sentado à frente do computador esperando o telefonema do Caixa Preta, para botar o papo em dia sobre as novidades do Guará, espero que sejam boas.
Estamos quase no final de ano, os preparativos para as cretinices natalinas, que alguns teimam em chamar de comemorações, estão em andamento.
O clima de falsidade está no ar, tornando o clima sombrio, ainda mais quando lembro dessa maldita pandemia que já levou muita gente pra cova, a coisa é cruel.
Dou uma zapeada no meu celular, quanta coisa inútil e sem nexo nessas redes sociais, recebo na hora uma verdadeira avalanche de bobagens despejadas sem nenhum critério, apenas puxam o saco vergonhosamente onde repetem mantras de outros cretinos ou mentiras deslavadas, uma verdadeira ode à burrice, os políticos inescrupulosos fazem a festa, despejando a baboseira para divulgação.
Como sempre acontece nessa época do ano esquecemos de tudo, no Guará a coisa que já está devagar a muito tempo, puxa o freio de mão, levantando fumaça.
Fica tudo bagunçado, difícil é ter que aceitar isso tão bovinamente como o povão aceita, sem de nada reclamar.

terça-feira, 23 de novembro de 2021

MENTIRAS DIGITAIS




Com o advento das redes sociais, as antigas e famigeradas faixas de agradecimentos colocadas estrategicamente em vários pontos da cidade pelos puxas sacos auxiliares de políticos de plantão, em qualquer buraco que era aberto na cidade foram abandonadas.
Agora a coisa ficou mais sofisticada, temos os grupos de What’sApp com um pessoal de plantão para reverberar as mentiras e enganações da turma.
Por conta disso o Caixa Preta está quase enfartando de raiva por causa dos desmandos que por essas bandas estão ocorrendo, parecendo até que com respaldo de quem deveria coibir, ressuscitando a velha política do pode tudo.
Vale salientar que muita coisa está sendo bancada pelo GDF, apesar das trapalhadas, morosidade, sem que precise que deputado A ou B tenha qualquer interferência, pois fazem parte de programas do governo para as diversas cidades.
Tem esperto dizendo que com uma verba anual de 18 milhões de emendas, se aprovadas, está injetando mais de 100 milhões, como se uma torneira estivesse aberta jorrando dinheiro à rodo, um milagre igualzinho a multiplicação dos pães, que está na bíblia.

quarta-feira, 17 de novembro de 2021

URINA PRETA




Sem nada pra fazer, depois de algumas cervejas na hora do almoço, resolvi dar uma volta no Guará pensando em encontrar o Caixa Preta, talvez o cabra tivesse alguma novidade.
Minhas pernas num passe de mágica me levaram até o nosso amado Porcão, onde a sujeira e o Galak estavam de plantão me aguardando.
Meu amigo Caixa Preta já estava sentado na nossa mesa favorita, quase do lado de fora pra evitar a catinga que vem da cozinha, que o meu amigo apelidou de Hell’s Kitchen, onde a Al - Qaeda prepara o tira gosto.
Meio triste o cabra começou a contar as suas preocupações, que pareciam a de todos, como comer um suculento bife ninguém pode mais pois o preço está nas alturas, resolvo dar umas voltas de carro, mas nem pensar com o preço que temos hoje.
Tudo parece conspirar contra a felicidade dos pobres, até uma tal de urina preta, começou a atacar quem gosta de comer peixe.
Pra arrematar ele diz que se aparecer alguma doença no ovo, mortadela ou no cuscuz, garanto que me mato antes,é muita tragédia.
Tive uma vontade danada de rir, mas procurei me controlar senão ele poderia ficar zangado, talvez não contasse as novidades que estão aparecendo por essas bandas.
Mas logo voltamos ao que interessa, o velho Caixa disse que o que anda tirando ele do sério é essa cambada de inúteis nas próximas eleições, inclusive a pior de todas que é esse inútil governador e sua trupe, que tocados pelas benesses dos cargos não imaginam largar o osso.

sexta-feira, 12 de novembro de 2021

VOLTAS DO MUNDO








A maldita pandemia continua dominando os noticiários, redes sociais, mesas de boteco onde os debates ganham novos contornos, pois depois de algumas doses o cérebro para de funcionar com o sangue circulante no corpo, para ligar o lado flex, onde o álcool passa a comandar as ações.
O Caixa Preta continua circulando, mas tomando todos os cuidados, pois o número de mortos conhecidos e desconhecidos aumentam a cada dia, já passamos dos seiscentos mil.
Fomos ao Porcão onde o Galak nos deu uns coices de boas vindas, começando por cobrar a nossa conta na frente de outros fregueses que com toda certeza estão devendo mais que nós, considerei o fato uma afronta, mas como estava duro resolvi não discutir.
Sentamos na nossa mesa favorita para botar as notícias em dia, mas aproveitando que o papo eram as coisas ruins que circulavam numa velocidade incrível nas famigeradas redes sociais e What’sApp.
O velho Caixa aproveitou para falar do nosso povo que ultimamente tem deixado a desejar perante a comunidade internacional, fazendo jus ao apelido de República de Bananas, viramos piada no mundo.

quarta-feira, 10 de novembro de 2021

ANGU COM CAROÇO




Quando pensamos já ter visto de tudo aqui no Guará onde as transgressões ao plano urbanístico se tornaram comum, o contribuinte leva outro coice desses aprendizes de feiticeiros que passaram a aprontar, burlando e afrontado tudo que já está consolidado por aqui.
Uma delas é o que tira o sono meu e de muito morador do Guará, são os estacionamentos, principalmente na área central do Guará II, onde observa-se um grande número de veículos estacionados, aumentando com isso o grande problema de mobilidade.
Sem fazer consulta sobre impacto de trânsito, ambiental, mobilidade e acessibilidade, a turma do sem noção ataca com gosto, principalmente ali na QI-23 onde já montaram um canteiro de obras para brindar os chegados próximo a Igreja Filadélfia, onde está instalado um verdadeiro cemitério de carros que utilizam o local, onde em finais de semana estacionam caminhões trucados, carretas e demais veículos, uma farra linda de se ver. 
Como se no Guará só morassem idiotas, montaram o tal acampamento dizendo que iam pintar uma faixa de estacionamento, o que diga-se de passagem é um verdadeiro absurdo, contrataram até uma empresa pra fazer a coisa, talvez dentro daquela fórmula mágica da licitação de gabinete ou mutretas legalizadas em conluio com empresas amigas do rei.
Pra mim isso é apenas uma desculpa, um modo de mudar o foco da verdadeira intenção, servindo de tapume para o que virá na verdade, o Caixa Preta já tinha me avisado que nesse angu tem caroço.
Na verdade, querem criar uma ciclovia, estreitando ainda mais a pista central do Guará II, terminando por afunilar na final da QI-23 próximo a 4ª DP.

segunda-feira, 8 de novembro de 2021

GUARÁ - AMOR E LOUCURA



São cinco décadas, vocês podem achar que é pouco, mas é metade de um século. O pobre lobo já está meio surrado, apresenta os sinais de desgastes naturais do tempo mas continua cada vez mais amado.
As vezes ficamos meio invocados com os rumos que as coisas costumam tomar por aqui, mesmo com grandes dificuldades o velho lobo continua de cabeça erguida.
Ao andar no Calçadão da Vergonha, inacabado e esburacado, todos os dias para manter a forma que está indo para o brejo, aproveita-se para admirar o mulherio que faz caminhadas.
Segundo Caixa Preta se dividem em duas categorias, as que não precisam de exercícios e aquelas que nem nascendo de novo tem jeito, além de esbarrar de vez em quando em alguns conhecidos ou não tão conhecidos, marca registrada desse lugar.
Uma cidade com ares de interior mas com espírito de grande metrópole, o guaraense é bairrista igual ao paulistano, pois narciso acha feio o que não é espelho segundo Caetano Veloso.
Final de semana o destino é a feira do Guará , um shopping para muitos, os produtos vendidos no local são variados, que vai de roupas aos temperos, ou quem sabe comer um pastel com caldo de cana, raizadas ou alguma coisa diferente que sempre terminam na comida típica, ou não, dos muitos restaurantes por ali espalhados.
O pessoal chega de todas as Regiões Administrativas, recebe inclusive turistas que costumam frequentá-la nos finais de semana.

sexta-feira, 29 de outubro de 2021

DEBOCHES




Aqui na terra do me engana que eu gosto, sim, aqui mesmo no Guará aquela campanha marota, lançada a algum tempo atrás, onde o GDF quer passar para o trouxa do contribuinte a responsabilidade pela conservação das nossas praças.
Na falta de algo pra enganar a população, a campanha foi lançada novamente, com pompas e circunstâncias mas está longe de emplacar, a tal de Adote Uma Praça ou Invadiu é Seu, onde o governo pede que adotem praças, parques, logradouros públicos a muito abandonados, numa falta de responsabilidade e vontade de fazer que chega as raias do deboche.
Os puxas sacos de plantão vão ao delírio, batem palmas, tecem loas como se fosse uma dádiva divina, mas é apenas mais um engodo, onde se espera que empresários e contribuintes já bastante sacrificados, ainda mais agora com essa maldita pandemia, vai receber esse pacote de enganação.
Não tem quem aguente mais esse lero, lero traduzindo, muita enrolação, tanta falação com pouca ou nenhuma ação, coisa que já está se tornando corriqueiro no Guará.

segunda-feira, 25 de outubro de 2021

REMENDOS





Confesso que essa maldita pandemia está nos afastando das coisas que gostamos, temos que evitar frequentar os locais ou lugares onde a gente sempre se encontrava para tomar aquela cerveja gelada, ficar sabendo as coisas do Guará.
Quando lembro do nosso refúgio, o sempre bom e velho Porcão, um boteco emblemático de Guará, onde reinava aquela sujeira salutar estampada nos aventais dos garçons.
Adotado  e adorado por endividados, quebrados, duros e todo tipo de cachaceiro, já virou uma marca registrada na cidade.
Meus olhos ficaram marejados quando lembrei do nosso garçom preferido, o carinhoso e gentil Galak que sempre nos recebia com alguns coices, impropérios e a má vontade que lhe é peculiar, um verdadeiro asno batizado.
Lembrando tudo isso, parece até que embarcamos no túnel do tempo, voltamos ao passado não muito remoto e nos deparamos com os mesmos erros que continuam acontecendo por aqui.
Segundo o meu amigo Caixa Preta, basta dar uma volta no Guará, tenha a certeza que vamos nos deparar com um Guará que a muito deixou de nos orgulhar, com esse monte de remendos que alardeiam como obras, tudo feito nas coxas, basta dar uma olhada nos remendos do asfalto.



São os famigerados puxadinhos, invasões, praças mal cuidadas, calçadas, as  poucas que existem estão em péssimas condições ou foram totalmente ocupadas por comerciantes inescrupulosos que nos obrigam a andar no meio da rua, muitas não resistiram ao abandono que foram deixadas durante os anos que passaram.
Por favor não me falem em falta de recursos, não brinquem com nossa inteligência, por favor nos poupem.
Não digam que estão tentando melhorar, pois nem sinal de vontade de trabalhar para melhorar a cidade demonstram.
Paciência tem limites! 

quarta-feira, 20 de outubro de 2021

GUERRA NO CALÇADÃO




Fiquei a observar os ciclistas que trafegam lá no Ciclodão, a nossa ciclovia que vai do nada a lugar nenhum, muitas vezes ocupando a pista de pedestres, causando transtornos e alguns entreveros entre os frequentadores do Calçadão da Vergonha.
Onde as duas se misturam, a convivência entre os usuários do Calçadão da Vergonha fica muito tumultuada, as reclamações explodem contra ciclistas mal educados.
Como sabemos as ciclovias exercem um grande fascínio sobre a população em geral, em especial nos ciclistas leigos. 
Existe uma crença que só a segregação do ciclista em relação ao trânsito proporciona segurança no pedalar é muito enraizada, mas a realidade é outra. 
Não resta dúvidas que ciclovias têm qualidades, mas não existe milagre e elas também apresentam seus pontos fracos. Talvez o ponto mais forte do conceito ciclovia esteja no imaginário das pessoas. 
Ela pode ou não ser a opção mais segura e apropriada, em várias situações é mais apropriado ter faixas para ciclistas, sinalização, trânsito partilhado, até mesmo não fazer absolutamente nada. 
Mas há outros fatores a ponderar antes de optar pela ciclovia, o que não foi considerado na do Guará.