terça-feira, 19 de janeiro de 2021

RECONSTRUÇÃO




Está na hora, apesar do atraso natural de sempre, parar de se agarrar aos mitos e milicos como se na verdade fossem os únicos guardiões, das verdades e da moral no nosso país.
O que precisamos fazer é simplesmente devolver os militares aos quartéis e as suas funções constitucionais, coisa que eles julgando-se superiores a tudo e a todos, não aceitam de bom grado, acham-se iluminados.
O povo tem  que ter a consciência, que lugar de militar é nos quartéis e não atrás de mesa de qualquer tipo de administração pública, coisa para a qual eles não demostram a menor capacidade, pois estão longe dos regimentos internos das forças, detestando de sobremaneira a Constituição que ofereça um tratamento igualitário entre os cidadãos de uma nação, principalmente a nossa, sentem-se os donos de corações e mentes do povo, coisa que estão longe de serem.
A nação precisa acordar, assumir com coragem e determinação, passa a construir com responsabilidade, mesmo com defeitos, um novo país que tenha a sua cara, pois nós temos  grandes virtudes ainda que não reconhecidas.

terça-feira, 12 de janeiro de 2021

DEPOIS DAS FESTAS




Um ano pra esquecer,foi assim que o meu amigo Caixa Preta iniciou a nossa primeira conferência do ano,notei alguma tristeza na voz do velho amigo,devo confessar que também não estava muito alegre.
Realmente o ano não foi dos melhores,a não ser o fato de estarmos com saúde juntos aos nossos,mas durante o ano a preocupação era uma constante para nos mantermos fortes e ativos,não deixando de modo algum que essa pandemia nos abatesse,a ponto de deixar de lado a nossa preocupação com a nossa cidade,que amamos,defendemos com unhas e dentes,sobretudo os nossos amigos, companheiros de luta por melhorias em nosso quadrado.
Algumas perdas foram inevitáveis,foram doloridas,mas nada disso nos desanimou,estamos com todo o gás,agora vamos esperar a chegada da vacina que parece estar de rosca pra chegar por aqui,graças as trapalhadas e as imbecilidades tão comum nesses asnos que dirigem  hoje a nação.
O longo confinamento,a distância dos amigos,os papos sobre tudo ou as vezes sobre nada,as viagens planejadas e não executadas,ficaram apenas nos sonhos que esperamos tornar realidade,tudo isso está fazendo uma falta que vocês não imaginam.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

ESPERANDO NA JANELA




Estamos chegando ao final de mais um ano e o governo do DF não engatou a primeira marcha até agora, mas parece que engatou a ré ou está com o freio de mão puxado.
Com essa maldita pandemia, então foi que a coisa não engrenou mesmo, por causa das mentiras e falsas promessas durante a campanha eleitoral, agora se vê sem rumo ou qualquer solução a curto prazo.
O DF sangra com tanta incompetência, encontra-se numa vexatória situação, num verdadeiro caos, tendo que inventar mil e hum motivos sem pés nem cabeça ou as já manjadas piedosas mentiras para manter a legião de puxas sacos ocupados com a divulgação e defesa.
Não esquecendo que nesse mês começam as festas, muita coisa vai continuar ficando pra trás ou serão jogadas pra baixo do tapete, o contribuinte que se lasque. 
Enquanto isso o nosso deslumbrado governador, junta-se a um grupo de inúteis, entre eles o rotundo ministro da saúde, dançam e cantam forró a noite toda, como se o DF fosse um verdadeiro oásis no meio desse deserto de coisas ruins que assolam a nossa população.

terça-feira, 5 de janeiro de 2021

ECOLOGICAMENTE INCORRETO






Na semana que passou a animação foi grande para os parques  aqui no Guará, numa boa iniciativa um grupo se reuniu para plantar algumas mudas nos parques da cidade, foi uma festa, onde todo mundo pode mostrar o grande e fingido amor que tem pela natureza, mas aproveitando a onda, apareceram os políticos pra tirar fotos com apoiadores e puxas sacos de plantão, onde não tiveram nem o trabalho de cavar um buraco para plantar uma muda, já encontraram o buraco devidamente cavado, colocaram as luvas para não sujar as unhas, tiraram as fotos para divulgação e abraços. 
Foi emocionante ver tanta falsidade, os sorrisos sempre vislumbrando a campanha eleitoral que se aproxima, alguns aproveitando carona, para quem sabe ser lembrado pra uma boquinha no próximo mandato ou tentar carreira solo. 
Na segunda feira o show de horrores continuou, dessa vez no Parque Ezechias Heringer, o Parque do Guará, que está passando por uma séria degradação e poucos ou ninguém tocam no assunto, que chama a atenção e é sério.
Se não acabarem com esse cretino clima de oba, oba logo teremos que lamentar a extinção desse oásis ecológico que continua resistindo aos ataques gananciosos da especulação imobiliária, apoiada por gente que devia zelar pela preservação desse verdadeiro santuário aqui no Guará.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

ESTAMOS PREPARADOS PRA 2021 ?




Parece que entra ano e sai ano, as mesmas coisas e problemas continuam acontecendo, como o mundo não acabou apesar dessa maldita pandemia, o Ano Novo está aí, todo mundo querendo um peru, muita gente se esquivando mas o governo insiste em nos dar todos os dias, nem nos festejos de final de ano a gente escapa. Basta olhar  a enxurrada de impostos na caixa de correios.
Ainda chega o Caixa me perguntando do alto de sua sabedoria uma coisa que não tive como responder: Tu já viu um Chester vivo ?

Mas pra começar o ano, me lembrei da letra dessa música muito atual :

PERFEIÇÃO

Vamos celebrar a estupidez humana

A estupidez de todas as nações

O meu país e sua corja de assassinos

Covardes, estupradores e ladrões

Vamos celebrar a estupidez do povo

Nossa polícia e televisão

Vamos celebrar nosso governo

E nosso Estado, que não é nação

Celebrar a juventude sem escola

As crianças mortas

Celebrar nossa desunião

Vamos celebrar Eros e Thanatos

Persephone e Hades

Vamos celebrar nossa tristeza

Vamos celebrar nossa vaidade


Vamos comemorar como idiotas

A cada fevereiro e feriado

Todos os mortos nas estradas

Os mortos por falta de hospitais

Vamos celebrar nossa justiça

A ganância e a difamação

Vamos celebrar os preconceitos

O voto dos analfabetos

Comemorar a água podre

E todos os impostos

Queimadas, mentiras e sequestros

Nosso castelo de cartas marcadas

O trabalho escravo

Nosso pequeno universo

Toda hipocrisia e toda a afetação

Todo roubo e toda a indiferença

Vamos celebrar epidemias

É a festa da torcida campeã


Vamos celebrar a fome

Não ter a quem ouvir

Não se ter a quem amar

Vamos alimentar o que é maldade

Vamos machucar um coração

Vamos celebrar nossa bandeira

Nosso passado de absurdos gloriosos

Tudo o que é gratuito e feio

Tudo que é normal

Vamos cantar juntos o Hino Nacional

(A lágrima é verdadeira)

Vamos celebrar nossa saudade

E comemorar a nossa solidão.

quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

A VIDA




"Depois de muitas quedas, eu descobri que, às vezes, quando tudo dá errado, acontecem coisas tão maravilhosas que jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo. 
Eu percebi que quando me amei de verdade pude compreender que, em qualquer circunstância,  eu estava no lugar certo, na hora certa.
Então pude relaxar... pude perceber que o sofrimento emocional é um sinal de que estou indo contra a minha verdade.
Parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Desisti de querer ter sempre razão e com isso errei muito menos vezes.
Desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro. Isso me mantém no presente, que é onde a vida acontece.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

ESTRADA DESERTA




O meu amigo Caixa Preta sempre tem um caso curioso pra contar, mas dessa vez ele caprichou, pois, aproveitando uma notícia que bombou nas redes sociais, resolveu me contar um que achei bem interessante.
Segundo o cabra, ele gosta de viajar à noite, mesmo muitos achando estranho por conta da questão do sono e outros perigos. E foi justamente com um desses perigos que ele se deparou semana passada. 
Já era quase meia-noite de uma dessas noites que são mais escuras que as outras. Soprava um vento frio e ele desligou o ar condicionado do carro para curtir aquela brisa fresca.
Tudo parecia tranquilo demais quando, de repente, em uma parte reta da estrada, com uma leve subida, ele notou um carro parado, sem pisca alerta ligado ou triângulo de sinalização na pista e uma mulher do lado de fora. 
Vestido preto curto, colado no corpo, parecia que voltava de alguma festa. Diminuiu a velocidade e quando passou por ela, além de perceber que era muito bonita, viu que ela juntou as duas mãos pedindo ajuda. A dúvida inundou a mente do caixa: Parar ou não parar? 



Tudo parecia um golpe.
Mulher sozinha, bonita, estrada deserta à noite. Ele parou uns 30 metros à frente. Engatou a ré para iluminar atrás, e continuou parado. Diminuiu o som, e o vidro que estava todo abaixado e, por instinto, ele levantou até a metade. 
Ela veio, realmente estava sozinha, se aproximou e perguntou: Você sabe por que Queiroz depositou 89 mil na conta da Michele?
Estou rindo pouco, mas não tive como deixar de rir.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

O CLIMA NATALINO




Quase enfartei, a Simone apareceu em um canal de TV com um cachorro nos braços, parecendo um maracujá murcho e ameaçando fazer uma live onde cantaria a indefectível versão brega de uma música de John Lennon: Happy Xmas(Was is over),que talvez se revire no túmulo toda vez que é tocada, foi um baque danado.
O meu amigo Caixa Preta que também não é muito fã de Natal, lembrou que Chicão,é assim que ele chama o Papa Francisco, acertou quando fez alguns nada elogiosos comentários a respeito da data.
Diz ele que o Natal é uma das festas mais cretinas que se pode imaginar, basta ver o clima de falsidade no ar, tudo numa doçura que diabético entrar em coma, todos tirando onda de bonzinhos com cara de anjo passando as férias na terra, dá até azia na barriga da perna.
Para ele tudo não passa de uma festa comercial, onde o pessoal que passa o ano se digladiando, se abraçam e se beijam numa falsidade de fazer inveja a artistas que ganharam o Oscar. 

terça-feira, 22 de dezembro de 2020

LEÕES,LOBOS E RATOS




Encontrei com o Caixa Preta, o cabra parecia que tinha muita coisa pra me contar, fiquei curioso com  que ele me contou, a população do Guará precisa saber.
O velho Caixa me contou o quanto ficou esperançoso ao ver que o Ministério Publico - MPDFT e a PCDF, estão investigando os desmandos acontecidos em algumas RA’s, como é o caso do nosso vizinho Núcleo bandeirante.
Isso encheu o cabra de esperança, pois essas investigações podem chegar ao Guará, para tentar estancar essa farra com as concessões por essas bandas, que segundo ele é uma das mamatas em voga na cidade.
Recentemente um curioso caso aconteceu, os espaços esportivos do Cave foram passados para a Secretaria de Esportes, mas ao apagar das luzes, ao arrepio de leis e normas foi dada uma concessão do estádio a um time de futebol americano que por coincidência tem ligações com o grupo religioso que hoje domina o Guará, tudo muito estranho e nebuloso.
Resolveram dentro de reuniões em gabinetes, sem que os donos, que são os moradores contribuintes da cidade fossem consultados.
Recentemente fecharam todos os espaços em volta do estádio, impedindo o livre acesso de pessoas da comunidade a aquele local, além disso cobrando ingressos ou exigindo que fossem filiados, isso dentro de uma ilegalidade que enoja.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

IMAGINE




Esse clima esquisito de pandemia tem me deixado meio devagar, deixo os grupos de WhatsApp ligo o computador, o astral não melhora tudo anda confuso e triste, parece até que a depressão atacou, qualquer coisa dá uma tristeza danada.
Agora faltando poucos dias para o Natal, mas com essa maldita pandemia recrudescendo de uma maneira brutal o astral chega a ficar abaixo de zero, temos que fazer muito esforço pra nos manter normal depois desses longos meses de confinamento.
Sem querer me peguei cantarolando Imagine, fiquei bem mais calmo ao ver a letra, que considero quase um hino pra humanidade, resolvi dividir com vocês: 

Imagine não haver o paraíso

É fácil se você tentar

Nenhum Inferno abaixo de nós

Acima de nós, só o céu

Imagine todas as pessoas

Vivendo o presente


Imagine que não houvesse nenhum país

Não é difícil imaginar

Nenhum motivo para matar ou morrer

E nem religião, também

Imagine todas as pessoas

Vivendo a vida em paz


Você pode dizer que eu sou um sonhador

Mas eu não sou o único

Espero que um dia você junte-se a nós

E o mundo será como um só


Imagine que não há posses

Eu me pergunto se você pode

Sem a necessidade de ganância ou fome

Uma irmandade dos homens

Imagine todas as pessoas

Partilhando todo o mundo