sexta-feira, 7 de agosto de 2020

OMISSÃO VERGONHOSA

O Caixa Preta sempre me surpreende com piadas sobre o nosso cotidiano, uma que me fez rir um bocado foi sobre o uso da máscara. Ele disse que está adorando o uso, foi dar uma volta na orla, passou por dois sujeitos a quem devia uma grana e não foi reconhecido.
Aproveitei a conversa com o velho Caixa para falar mais uma vez sobre a armação que estão preparando com os espaços públicos, que por direito é da população, para entregar de mão beijada aos amigos do rei, como pano de fundo a desculpa é a falta de dinheiro para administrar o patrimônio publico, mostrando de vez a incapacidade dessa turma de gerir o que é do povo.


Parece que a única solução imaginada por esses pseudos administradores é entregar para a iniciativa privada sem sequer fazer uma ampla discussão com a população.
Não posso imaginar que essa armação esteja sendo arquitetada com o total conhecimento do governador. Se assim for está mal intencionado ou sendo omisso, o que configura um crime. O plano contra o contribuinte é macabro sobre todos os aspectos, como se pode observar.
A famigerada e natimorto PPP do Cave, como se tornou conhecida, foi convenientemente transformada em uma concessão, porém, de cartas marcadas para atender os abutres de plantão, numa armação tão nojenta que dá vontade de vomitar.
Pior é ouvir de algumas figuraças do Guará a defesa acalorada dessa coisa, com uma pergunta pra lá de capciosa: Você utiliza o Cave?
Tenha a santa paciência, a população do Guará não é tão idiota quanto vocês imaginam para acreditar nessas desculpas usadas para entregar um bem público nas mãos de empresários gananciosos sem nenhum comprometimento com a cidade, visando apenas o lucro puro e simples.



quarta-feira, 5 de agosto de 2020

TENHA DÓ !

Numa conversa que tive com o Caixa Preta, ele me contou uma coisa engraçada sobre os procedimentos de segurança em supermercados, lojas, feiras e outros.
Uma coisa que estava deixando o cabra o cismado era aquelas pistolas de temperatura que apontam pra testa dos clientes antes de entrar.
Ele está desconfiado que a tal pistola apagaria a memória das pessoas, mandou eu tomar muito cuidado pois aconteceu com ele. Sábado passado foi comprar algumas frutas e legumes, saiu de lá com o carrinho abarrotado de cerveja, carne e carvão pois esqueceu do que tinha ido realmente comprar.


O velho Caixa não tem jeito, mas o que o estava preocupando de verdade era um projeto do governo que pretende jogar nas costas do contribuinte, que já está no sal, cobrando estacionamentos em todo o DF, mostrando que pouco está ligando para os reais problemas do povo.
O Governo está inclusive ameaçando de mandar para a CLDF onde espera que os nossos subservientes distritais completem mais esse absurdo contra a população que está no limite com tantos gastos.
Mas  a preocupação do governo é não deixar faltar nada para o Flamengo, time de coração do governador que sempre que pode dá um jeito de fazer um mimo ao time, sem se importar com as reais necessidades do DF.
Cercado de figuraças, em sua maioria importadas do Rio de Janeiro para se abrigarem nas asas do GDF, onde gozam de mordomias e benesses sem nada de útil para apresentarem em prol da sobrevivência do DF. Alguns deles, segundo blogs e jornais da cidade, frequentadores das páginas policiais no seu estado de origem.
Isso sem contar com a República do Piauí nos diversos postos chaves, sem nunca terem vindo ao DF nem a passeio antes de ganharem a boquinha por essas bandas.



sexta-feira, 31 de julho de 2020

A BOLA DA VEZ

Volta e meia aqui no Guará a notícia que vão reformar a Feira do Guará ganha as redes sociais, rodas de discussão e nada da coisa acontecer.
A Feira do Guará é emblemática, merece realmente um tratamento diferenciado, mas por trás de tudo isso existem problemas que precisam ser sanados ou cairemos naquela famosa reforma feita a algum tempo atrás onde dizem que foram gastos a bagatela de 1,5 milhão.


Na verdade fizeram uma maquiagem, como sempre, isso é muito comum por essas bandas e quem conhece sabe do que falo, pois nada justifica o preço absurdo pago na época, sem terem realmente melhorado qualquer coisa, pior do que maquiagem em prostituta barata.
Muitos vão fazer aquele biquinho de indignação, o que é muito comum no Guará, mas esses desmandos acontecem sempre com a conivência ou omissão de quem deveria ser mais rígido e transparente na aplicação de verba pública.
Agora mesmo estão apresentando como projeto, que de tão mal feito está parecendo um croqui feito por algum aprendiz de arquitetura, para essa elaboração de projetos, estão pagando a bagatela de R$ 750 mil reais, parece brincadeira.
Não é brincadeira não, essa turma gosta de fazer o contribuinte de besta, fazem isso na maior cara de pau querendo que todos aceitem calados que nos enfiem goela baixo essas invenções malucas em que nada vai melhorar a situação caótica da feira.



terça-feira, 28 de julho de 2020

TEMPORADA DE CHILIQUES

Depois que um ministro do STF fez duras críticas aos milicos aquartelados no governo, a coisa não foi bem digerida pela turma que se acha dona do país, foi chilique pra todo lado, parecia que uma guerra estava prestes a começar.


Não gosto muito do tal ministro, mas tive que concordar com a quantidade de militares aboletadas nos gabinetes dos diversos ministérios, principalmente no Ministério da Saúde onde sem conhecer a área ficam batendo cabeças iguais barata tonta, sem saber realmente o que fazer durante a pandemia.
O pior de tudo foi ouvir dos mesmos a exigência de uma retratação, pois sentiam-se ofendidos por alguém ter acertado nas críticas, que estão mais que fundamentadas para o que hoje ocorre no país diante dessa grave crise.
Sem querer polemizar muito, a grande verdade é que esse governo até hoje não disse ou não sabe a que veio, pois até agora não tiveram como justificar um golpe que os eternizariam no trono.
Enquanto isso vemos a destruição gradativa da Amazônia, coisa que já tem chamado a atenção da comunidade mundial, nas barbas desses bravos defensores da pátria, apesar de estarem com dinheiro no bolso, foram contemplados com privilégios e vantagens, na tal da reforma da Previdência, deixando o sacrifício maior para o trabalhador, que sempre leva a pior nessa disputa desigual.



sábado, 25 de julho de 2020

MOFO DEU

Nesses tempos de isolamento social, que o nós chamamos de confinamento, o bom mesmo é ouvir os casos contados pelo velho Caixa, pois são interessantes e muitas vezes engraçados.


Conversando com o Caixa Preta através de uma videoconferência, matando a saudade e ouvindo os casos malucos do cabra.  Ele então contou um caso que recentemente aconteceu com ele, pois não querendo deixar ninguém preocupado, guardou segredo, mas resolveu contar só pra mim.
Diz ele que outro dia acordou ainda de ressaca, notou que algo estranho tinha acontecido com ele, lembrou logo de Gregório, personagem de Franz Kafka em A Metamorfose pois estava começando a aparecer umas manchas verdes por todo o seu corpo, não coçava, não ardia e nem doía, mas o troço era muito estranho e começou a incomodar.



quarta-feira, 22 de julho de 2020

COBRAS E TUBARÕES


O Caixa Preta me telefonou bem cedo, estava doido pra me contar alguma coisa, pelo tom da sua voz pude sentir que o cabra estava tenso, para não dizer puto da vida.
Lembrou logo que no Guará acontecem coisas que mesmo contando poucos acreditam, pois parecem casos saídos de contos além da imaginação, tive que concordar.





O assunto do momento era o caso do maluco que foi picado por uma Naja Indiana, uma cobra cujo veneno é temido, e com razão, por todos os mortais que conhecem o quanto uma picada da tal cobra é mortal se não tiver os cuidados depois de picado dificilmente escapa.
Por sorte o tal indivíduo, mesmo sendo vítima de sua própria irresponsabilidade, conseguiu escapar com vida dessa tenebrosa aventura, talvez tenha que responder perante a lei sobre o acontecido, pois a polícia descobriu no local onde ele mora um verdadeiro criadouro de cobras, fazendo inveja até ao Butantã.
Acontece que o criadouro das serpentes era dentro do próprio apartamento, localizado em um dos blocos da orla aqui no Guará. Colocando em risco a vida dele e dos familiares, mas a de moradores de todo o bloco onde mora.
Depois dessa tem que ser punido para aprender a não se envolver com esse tipo de coisa, animais exóticos dentro de casa nunca dá certo, deixa os bichos na natureza como deve ser.


sexta-feira, 17 de julho de 2020

SE COLAR , COLOU

Quando começo a escrever me lembro daqueles filmes onde os prisioneiros exilados ficam escrevendo as memórias ou tentando se comunicar.
Por falar em comunicar, tudo indica que o nosso governador é bipolar, decreta num dia e anula no outro, o pessoal está descendo a lenha através das redes sociais.



A coisa não está fácil, o Caixa Preta me contou que pelo tanto de álcool gel que já passou nas mãos, jamais imaginou que elas fossem consumir mais que o fígado dele, tive que concordar com o cabra, estou na mesma situação.
O velho Caixa me contou uma coisa interessante, tanto que fiquei curioso e resolvi ir até lá bater umas fotos para ninguém achar que é mentira nossa.
O cabra me falou que teve que dar uma chegada no banco e resolveu ir a pé pra matar saudades e ver o que estavam aprontando, além de cortar árvores e deixar os galhos empilhados no local.
Quando passou ao lado da Escola Classe - E.C nº5 achou muito interessante o que viu, cerca de 10 postes de iluminação, todos equipados, mas sem nenhuma lâmpada. Pensou até se tratar de alguma campanha de iluminação para deficientes visuais.
A coisa é muito estranha, pois a Administração e nós contribuintes pagamos uma taxa de iluminação pública, mas nunca vi iluminação em poste sem as lâmpadas colocadas ou funcionando, talvez tenham inventado a cobrança futura.



terça-feira, 14 de julho de 2020

SINALIZAÇÃO ZERO !

Na nossa videoconferência da semana eu e o meu amigo Caixa Preta discutíamos alguns problemas pontuais do Guará, como a pouca mobilização popular quando se trata de defender o Guará dos predadores que estão ávidos por fatiar a cidade para saciar a ganância dos especuladores que já se movimentam para abocanhar o filão a preço de banana.


O velho Caixa estava inspirado, como sempre, e foi soltando algumas boas na base da gozação pra conversa não ficar muito monótona. Uma que me chamou a atenção foi quando ele me perguntou se eu estava com algum tipo de ansiedade. Aí lembrou das Testemunhas de Jeová que não estão podendo sair pra bater de porta em porta, sabendo que a galera está toda em casa.
Tive que dar uma risada com a cretinice do cabra, mas logo em seguida voltamos ao assunto mais sério, alvo das queixas da população.
Não, não quero ver tudo piorar por aqui, mas muita coisa no Guará não tem como aguentar o que a muito já chegou no limite do suportável.
Tomemos como exemplo maior as placas de localização da cidade, algumas depois de quebradas, muitas pelo desgaste natural do tempo, outras tantas foram vandalizadas, mas não foram devidamente repostas ou sequer foram colocadas. O Guará está em processo de extinção em matéria de informação visual.



quinta-feira, 9 de julho de 2020

QUEM SE IMPORTA?

O nosso povo adora as besteiras propagadas incessantemente pelos grupos de Whats App e Facebook, vibram nas mãos de governos e desgovernos que, sabendo da nossa inércia em reagir a assuntos sérios, ficam zombando, sorrindo da nossa eterna covardia em se revoltar contra os assaltos ao erário e desmandos que por aqui acontecem sem que ninguém seja incomodado, cobrado ou punido.


Um país onde temos verdadeiros templos para a prática do futebol, apesar de construídos com o nosso dinheiro e suor, pouco se aproveita desses elefantes brancos, a não ser os rombos astronômicos ao erário.
Um futebol decadente, falido e cada vez mais dependente do Estado para sobreviver, basta ver os contratos bilionários assinado com times de futebol a fundo perdido, temos com exemplo maior um contrato assinado com um time do Rio de Janeiro e um banco estatal que supostamente foi salvo da situação pré falimentar, pois não acredito em milagres, principalmente na área econômica.
O GDF gasta muito e gasta mal, com isso quem sempre leva tinta é o pobre contribuinte, assim como o hospital de campanha instalado no estacionamento do recém-doado, digo, privatizado, Mané Garrincha. Esse dinheiro todo bem poderia ter sido utilizado aqui no DF em coisas mais importantes pra toda a população, melhorando a qualidade de vida de todos, investindo em coisas que realmente importam.