terça-feira, 20 de outubro de 2020

MOSTRANDO A CARA



Quanto tempo será que vai demorar para o nosso povo começar a repensar o que ocorre por aqui, passando a cobrar os descalabros de governos que passam pelo DF sem dizer a que realmente veio.
Prestem atenção nessa onda que inventaram de pintar meios - fios, varrer ruas, tapar buracos como se fosse um programa de governo para tentar enganar os incautos, que ainda não caíram na real, pois até trocar fechaduras em porta de escola é contada como reforma.
Enquanto isso o básico, como saúde, segurança, educação, mobilidade estão sendo deixados de lado apenas pra atender a ganância de políticos ávidos por cargos e locais onde possam abrigar seus apadrinhados sem pensar realmente no pobre contribuinte que sustenta com muito sacrifício essa farra desenfreada.

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

A FINAL DOS SONHOS


Gosto de conversar com o meu amigo Caixa Preta, pra mim o cara que tem as ideias mais malucas que se pode imaginar, algumas merecem até um Nobel pela criatividade, mas o que não falta é o bom humor.
Sem assunto, procurei o velho Caixa para que ele me contasse alguma coisa para que eu pudesse colocar no meu Blog, assim que o vi saquei logo que o cabra estava com alguma ideia de jerico, me preparei para ouvir.
Foi chegando e soltando a bomba: -Velho Gruja, vamos fazer um plebiscito para colocar o Guará na União Europeia- UE já que a Inglaterra resolveu cair fora.

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

COLCHA DE RETALHOS




Minha gente esse calor está fazendo o deserto do Saara parecer um lugar de veraneio para masoquistas, pois segundo o Caixa Preta o inferno seria apenas um detalhe aqui no Guará, o que apesar da pandemia está fazendo a festa para botecos e quiosques no nosso quadrado.
Mas a falta de fiscalização e o descaso também campeiam por aqui, tem uma galera que aproveitando essa pasmaceira geral, deita e rola nos desmandos por aqui.
Hoje a população começa a perceber que a  Lei de Uso e Ocupação do Solo – LUOS, que foi votada a toque de caixa, uma verdadeira colcha de retalhos, transformada  em um verdadeiro presente grego para o Guará principalmente e que foi empurrada goela baixo apenas para atender aos especuladores imobiliários, afundando de vez o plano urbanístico do Guará transformando-o nesse aglomerado que em nada ajuda o progresso e o crescimento ordenado, que poderia preservar o pouco que nos resta de qualidade de vida.

quinta-feira, 1 de outubro de 2020

SÓ FALTA A LUZ VERMELHA

O pau continua quebrando nas redes sociais, aqui no Guará os grupos de What’sApp estão em polvorosa, discutem até a mudança da direção do vento, um verdadeiro balaio de gatos.
Meu amigo Caixa Preta já me disse que está saindo de alguns grupos pelo excesso de propagandas, assuntos banais e as brigas dos participantes das diversas facções políticas ideológicas, além da turma que entra pra fazer campanha política velada ou defender o seu político de estimação, os ânimos estão pra lá de acirrados, fico imaginando quando chegar a época da campanha eleitoral aqui no DF.

quinta-feira, 24 de setembro de 2020

FALTA LAZER

Conversando com o Caixa Preta, ele me lembrava que fazem exatamente sete meses que não temos a nossa Rua do Lazer, um evento que já marcou a população,como nós, posso garantir que tem muita gente com saudades.
Continuo sem entender essa longa pausa numa coisa tão boa para a população, onde o congraçamento das tribos das mais diversas vertentes se reuniam, pelo prazer de jogar um papo fora ou mesmo ficar flanando no meio da rua vendo a movimentação da galera.

terça-feira, 22 de setembro de 2020

ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO

Estava aqui curtindo a minha prisão domiciliar quando de repente o telefone toca. Era o meu amigo Caixa Preta, achei até bom ele ter telefonado, pois não aguento mais ver a turma do me engana que eu gosto, fazendo das tripas coração para tentar encobrir as mazelas que os chamados donos da cidade teimam em aprontar, principalmente quando se trata de coisa pública, parecem um bando de Pitbull’s adestrados.
A população que de vez em quando tenta se defender contra esse ataque predatório, por qual hoje passa o Guará, logo é rechaçada.

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

TUDO ERRADO

Estava me lembrando de uma conversa que tive com o Caixa Preta sobre os diversos problemas que só acontecem aqui no Guará. Sempre quando tocamos no assunto em conversas com amigos eles caem na risada, pois não acreditam ser possível tanta irregularidade sem que órgãos responsáveis tomem qualquer providência.


O pior disso tudo é não ver nenhuma movimentação para conter esses absurdos e acochambramentos verificados por aqui. O velho Caixa jura que tem alguém por trás dessas coisas, incentivando ou fazendo vistas grossas.
Estão distribuindo licenças como quem distribui sopão para moradores de rua. Parece ser  um bom trabalho, mas o que estão fazendo é jogar a nossa cidade no caos urbano, em nada ajudando no desenvolvimento.
A Terracap anda trombeteando aos quatro cantos que tem um plano para melhorar o Polo de Modas, que um dia chegou a ser cogitado pra ser um grande gerador de empregos e renda, mas nada saiu do papel. Hoje o Polo de Modas faz parte do caos urbano que tomou conta do Guará.
Basta dar uma olhada nas construções feitas nas coxas ali no famoso Polo de Modas, segundo o Caixa Preta a muito que está fora de moda, basta dar uma olhada na esculhambação reinante naquela área. Tem de tudo por lá, está tudo desvirtuado de seu projeto original, uma verdadeira colcha de retalhos que não contribui para o crescimento ordenado da cidade.



quinta-feira, 10 de setembro de 2020

MANOBRAS MILAGROSAS

Temos hoje por aqui no Guará um caso curioso, que são as famosas concessões feitas nas coxas de algumas áreas do Cave. Basta dar uma voltinha por lá que se nota a falta total de compromisso da administração e órgãos responsáveis no trato com a coisa pública.


Pior é ter que ouvir dos tais concessionários que se essa vergonhosa PPP sair do papel, esperam ser indenizados, sabendo eles que não existe usucapião para terras públicas, principalmente de uma área que tem ser para usufruto da população.
De tudo isso, estranha-se que a administração seja responsável pelas contas de água e luz, usadas por essa turma. Tudo pago com o dinheiro do contribuinte que pouco aproveita tais espaços, pois os donos do pedaço não deixam.
Em meio a tudo isso coisas boas acontecem. Estou me referindo à pista de skate, onde um grupo de moradores, unidos e ajudados por alguns, arregaçaram as mangas e em pouco tempo deixaram a pista em condições de uso.
Parece que a Secretaria de Esportes vai se responsabilizar pelas áreas de lazer do Cave, colocando ordem na bagaça. Vamos esperar as ações que atendam aos reclames da nossa população.



terça-feira, 8 de setembro de 2020

FAZ FALTA

Quem quiser gostar, que goste do tal isolamento social, mas não consigo me acostumar. De vez em quando olho no espelho pra constatar, com tristeza, que ganhei alguns quilos. Posso garantir que vai dar um trabalhão me livrar deles.
Como diz o meu amigo sarcástico e gozador Caixa Preta, essa quarentena parece uma série da NETFLIX, quando acha que está acabando, vem a próxima temporada, não tem cristão que aguente.


A nossa rotina já foi para o espaço, mudamos hábitos, nada de reuniões, nada de encontros, nada de abraços, até os mais falsos fazem uma falta danada. Tudo isso dá saudade ,muitos já estão afetados de uma forma ou de outra e pelo jeito a recuperação vai ser muito lenta.
Todos os dias recebo notícias de amigos que foram afetados por esse maldito vírus, alguns conseguiram se safar e estão curados, mas ainda traumatizados pelo sofrimento que passaram. Isso tudo sem contar com os que se foram deixando lacunas muitas vezes irreparáveis. A coisa está complicada.
Aqui no Guará as coisas continuam complicadas uma delas, por exemplo, aquela recuperação, pra lá de estranha, na QE-15 onde apenas quatro conjuntos foram beneficiados. Parece que os conjuntos foram escolhidos apenas atendendo a interesses diversos que não o coletivo, como se espera do poder público.
A coisa me parece tão imoral que salta a olhos vistos, pode até parecer coincidência , mas as ruas escolhidas atendem justamente a filial de uma grande rede de farmácias e um supermercado, a outra rua é de chegados próximos. 



sexta-feira, 4 de setembro de 2020

FISCALIZAÇÃO ZERO

Não aguento mais ficar nos grupos de Wha’sApp da cidade, em todos os assuntos praticamente se repetem, alguns se auto elogiando ou elogiando algum chegado, numa doçura de fazer diabético entrar em coma, isso quando alguns que são garotos propagandas do comércio local não resolvem anunciar os produtos que estão à venda, todos com os preços da Suíça sendo que os nossos salários continuam iguais os da Biafra,já está ficando uma coisa bem cansativa.



Mas aqui no nosso quadrado que é o Guará, os absurdos e descalabros estão em ritmo crescente, o pessoal não está nem aí, a farra está pra lá de boa.
Esta semana mesmo me deparei com um flagrante desrespeito as normas de construção da cidade, pois a turma que devia coibir não liga, os cabras deitam e rolam.
Ali na QE-32 um sujeito que tinha uma oficina de fundo de quintal, na esquina de sua casa, invadindo a área pública, acabando inclusive com a calçada, perdeu o receio, pois já sabia que não seria incomodado e resolveu implantar definitivamente a oficina.
Aproveitando o isolamento e a frouxidão da fiscalização, está construindo a toque de caixa uma senhora oficina em um local residencial, contrariando normas, regulamentos, decretos e o escambau.
Não pensem os caros leitores que a coisa é pequena, o monstrengo ocupa toda a lateral da casa, um galpão de tamanho considerável, o trabalho por lá segue em ritmo frenético e o pessoal responsável pela fiscalização faz aquela popular cara de paisagem, o que diga-se de passagem é uma tremenda sacanagem que estão aprontando com os contribuintes moradores da vizinhança.



quarta-feira, 2 de setembro de 2020

FALSO POSITIVO

A população do DF foi surpreendida nessa semana  com um caso que até aqui, tem todos os ingredientes de um filme de sucesso.
Numa operação chamada de Falso Negativo, a polícia meteu na cadeia quase todos os integrantes, menos um que encontra-se foragido.


Todos eles, com  cargos de mando na Secretaria de Estado de Saúde do DF-SES, no que parece coisa de uma quadrilha muito bem montada que atuava aproveitando a dispensa de licitação.
Surfando na onda da decretação do estado de calamidade pública, o prejuízo como sempre batendo na casa de alguns milhões de reais, no lombo da população que já passa por diversas dificuldades por conta da pandemia.
Um crime contra a população, que devia ser tratado como crime hediondo, pois os testes comprados para a detecção eficiente do Coronavírus, podem ter gerado milhares de resultados falsos.
É preciso que a justiça haja com rigor contra esse grupo, para servir de exemplo e inibir outros que por ventura queiram aproveitar desse momento de vulnerabilidade por qual passa a população do DF.
Não se pode permitir que esses bandidos travestidos de homens públicos, tragam tanto prejuízo para os contribuintes, que além de sofrer com essa pandemia que parece não ter fim, ter que sofrer com esses golpes de quem devia cuidar para que os recursos públicos fossem aplicados em prol de quem realmente necessita, deviam aproveitar o momento e fazer um limpa nessa secretaria.



sexta-feira, 28 de agosto de 2020

ESPERANDO A QUEDA

O isolamento continua e com ele os longos papos telefônicos com o meu amigo Caixa Preta que, apesar de tudo, continua com o bom humor em alta, sempre tirando um sarro do que acontece na cidade. Isso ajuda a passar o tempo que parece se arrastar, um dia parece ter 48 horas, uma semana 15 dias.


Paciência, um dia, que espero não esteja muito longe, isso fará apenas parte da nossa história.  Pensando nisso, me distraio ouvindo os casos do velho Caixa.
Dessa vez o caso é sério, merece muita atenção por parte da Administração para evitar que um mal maior aconteça, fazendo um estrago na nossa cidade que tem problemas e mais problemas sendo protelados.
Nessa semana tive a certeza que o Guará não faz parte do DF, pois o que menos vale por aqui são leis e regulamentos, que são aplicados em todas as Regiões Administrativas -RA’s,. Porem esqueçam, por essas bandas as leis são outras, sempre favorecendo aos chegados ou amigos do rei.
Tomemos como exemplo a poda de árvores, muitos moradores estão na maior bronca com a  Administração, desde a temporada de chuvas, onde muitas árvores caíram, causando uma série de prejuízos ao Estado e ao contribuinte, caindo em cima do ginásio de esportes do Cave, derrubando muros de escolas e algumas casas.
Ali na QE-13 a chiadeira é geral entre os moradores, pois apesar das inúmeras reclamações até hoje providências não foram tomadas para a resolução do grande problema e já se arrasta a um bom tempo.



quarta-feira, 26 de agosto de 2020

MANOBRAS RADICAIS

Liguei para o meu amigo Caixa Preta. O cabra está no confinamento, mas não perde o bom humor, ao contrário de mim, que já estou de saco cheio dessa pandemia onde todo dia uma notícia ruim circula pelas redes sociais. A coisa tá de lascar.
O velho Caixa não deixa a peteca cair, disse que anda preocupado com a Câmara Legislativa do Distrito Federal – CLDF, que no auge da sua inutilidade ou talvez falta do que fazer, resolveu atacar as obras de artes e espetáculos culturais em todo o DF com um projeto estapafúrdio de censura.


O cabra me falou que está bastante preocupado, pois agora eles são capazes de votar a Lei da Burca para todo o DF e soltou uma sonora gargalhada.
Mas voltando aos assuntos do Guará, ele me disse que nem tudo está perdido. Ele resolveu dar uma volta lá no Cave e ficou até alegre quando lá no meio daquela área, deparou-se com um grupo de jovens limpando e consertando a abandonada pista de skate ou o que resta dela. Tudo com o pouco material que conseguiram comprar, parece que se cotizaram entre eles, ninguém mais se interessou em ajudar, estavam dando um duro danado pra tentar limpar toda a sujeira que descaracterizava a pista, que já teve seus dias de glória, coisa que já faz um bom tempo.
A  Administração fez a famosa cara de mercador e continua fazendo com que as áreas de lazer da cidade fiquem completamente sucateadas para justificar a famigerada PPP do Cave, ou ação entre amigos como parece ser, não fazem a mínima para disfarçar esse acinte com a população do Guará.
Uma cidade cheia de jovens que adoram andar de skate, muitas crianças começando agora no esporte, mas deparam com o grande problema que é justamente um local para curtirem as manobras com o seu brinquedo favorito.  Andar pelas calçadas ou nas praças abandonadas não resolve o problema.



segunda-feira, 24 de agosto de 2020

MIL EDIÇÕES

Estou muito alegre, parece que estarei no milésimo número do Jornal do Guará. Não posso negar que estou orgulhoso e não é pra menos.
Dentre todos os jornais comunitários do DF, o Jornal do Guará se destaca, alguns leitores já tornaram o hábito de folhear o jornal, quase um ritual, pois só assim ficam por dentro do que acontece no nosso quadrado que é o Guará.


Todas as semanas ele está nos tradicionais pontos de distribuição, sempre gratuito.  Dá um trabalho danado, mas somos recompensados com a grande aceitação por parte do grande número de leitores.
O jornal sempre vem recheado de assuntos diversificados, que vai desde culinária, artes, política, problemas denunciados por moradores, reclamações das mais diversas, assunto é o que não falta todas as semanas.
Com os mais diversos colaboradores, um time harmonioso, que escreve com seriedade procurando tocar nos mais diversos assuntos, sempre no intuito de nos manter informado e divertir a todos que nos acompanham durante todos esses anos.
Talvez nenhum jornal comunitário no DF seja tão longevo e isso tem que ser ressaltado, o número mil é o retrato de tudo que falo, já virou história.