domingo, 16 de abril de 2017

A PÁSCOA , OS OVOS E O COELHO

A Páscoa se aproxima, encontrei com meu amigo Caixa Preta que já chegou falando do preço absurdo dos ovos de Páscoa, de tão caros parece até que o cacau foi colhido por algum monge tibetano, sem os braços, que os colhe com o pé esquerdo.
Segundo o velho Caixa, se fosse comprar ovos para toda a família teria que empenhar o carro na Caixa Econômica, ou entrar no programa “Meu Ovo, Minha Vida” que o Governo deve lançar em breve para incentivar o consumo.


Todos nós sabemos que desde o início, a igreja soube como incorporar os hábitos dos fiéis aos rituais religiosos, nem que para isso fizesse de forma a descaracterizar a celebração, como foi o Natal, São João e outros que não recordo.
A Páscoa apenas marcava a passagem do inverno para a primavera, saindo da escuridão de um longo tempo sem sol para o renascimento de plantas e animais, mas até hoje não se descobriu como o coelho foi jogado nessa brincadeira.
O tal bichinho, é tido como o mais tarado e prolifero da espécie animal, tanto que o Caixa anda dizendo que quer reencarnar num coelho, tenho que rir.
Perguntarão vocês, e os ovos? Calma nada de pensamentos pecaminosos, os ovos do coelho são de chocolate, até hoje o mistério nos intriga, mas para a alegria dos pobres mortais foram incorporados pelos padres e inserido aos festejos.
Junto com a ressurreição de Cristo, o coelho virou símbolo do renascimento, da fertilidade e da própria vida. Ai foi um Deus nos Acuda, uma mistura de comemorações e virou uma zorra total.
Mas os comerciantes, para não perderem o bonde junto com os portugueses, enfiaram o bacalhau no meio. Os supermercados passaram a vender lascas de bacalhau que não sabemos se é realmente do peixe, o povo na dureza passou a comer sardinha, imitando os índios que comeram o Bispo Sardinha, mas na maioria das vezes acaba em pizza ou churrasco.

Feliz Páscoa!!