quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

O DISCURSO DO MALA

O Caixa Preta tinha um caso na ponta da língua para contar enquanto tomávamos aquela “Canela de Pedreiro”,para quem não conhece, cerveja estupidamente gelada. Enquanto ouvíamos o praguejar delicado do nosso amado garçom o Galak, o cabra é de uma grossura cavalar, dá gosto ver tanta ternura.


Diz ele que conhece um casal que mora ali na vizinhança cujo marido é brother como diz o velho Caixa e o acompanhou em uma aventura, os dois já tentaram acabar com o estoque de cerveja de alguns botecos aqui no Guará, coisa que a esposa do cabra não apoia.
Resolveu então contar um caso passado recentemente com o casal em questão, um fato verídico segundo o Caixa, diz ele que sábado passado, o cabra estava estirado no sofá, pois não aguentava nem ir ao banheiro de tanta ressaca, acho que estava usando fraldão, mas isso são detalhes. Então a jovem esposa resolveu ir ao supermercado e apesar de contrariada pela carraspana do cabra, resolveu fazer uma média e perguntou o que ele precisava de lá.
O maleta, cheio de onda, fez um pequeno discurso na maior cara de pau, um verdadeiro tratado internacional de cretinice.
- Preciso dar um sentido pra minha vida, definir de vez um propósito pra essa pobre existência cheia de altos e baixos, buscar uma conquista que me dê a plenitude total da minha alma tão carente. Quero estar em sintonia com o Todo, descobrir a verdadeira espiritualidade inerente a minha condição humana, em resumo quero alcançar a transcendência.
Sem entender nada, a esposa pergunta se ele pode ser mais específico, o cabra na cara dura responde: Heineken ou Skol !!

A família e amigos estão esperando a localização do corpo para o devido sepultamento. Arre égua !!!