quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

A VOLTA

Encontrei com o Caixa Preta, pra variar, o cabra estava cheio de novidades e queria me contar algumas, fomos até o templo da sujeira, o nosso amado Porcão.


Já acomodados e tomando uma naqueles copos com marcas de dedos engordurados do Galak, parecia até uma ficha criminal de tantas digitais estampadas no mesmo. O velho Caixa foi soltando essa pra começar: “Dois amigos dele, eram inseparáveis, pareciam irmãos, chegavam até a apanhar juntos quando se metiam em encrenca nos botecos durante as carraspanas homéricas que tomavam.
A amizade era tanta que fizeram um pacto, quem morresse primeiro e, caso existisse reencarnação, entraria em contato com o outro para contar como era e coisa e tal.
Um deles empacotou. Passado algum tempo o outro foi a um médium para tentar saber como era por lá, o médium botou ele em linha direta com o primeiro, que foi logo contando como era a vida agora.
- Minha vida agora é muito diferente, acordo bem cedo e já faço sexo durante umas duas horas.
Tomo café da manhã, vou direto para o campo de golfe, faço mais sexo, tomo banho de sol, faço sexo mais algumas vezes até a hora do almoço.
Como muitos legumes, verduras e mais sexo...que dura a tarde toda, logo depois do jantar volto ao campo de golfe e mais uma sessão de sexo até cansar, depois vou dormir para me recuperar, pois no dia seguinte vai recomeçar tudo de novo.
O outro ficou animado, que boas notícias tinha recebido do parceiro de cachaçadas, foi logo perguntando: - Que beleza! Você está no Paraíso?
- Não...reencarnei...agora sou um coelho na mansão de um ricaço aqui no Lago Sul”.

É mole???