domingo, 5 de novembro de 2017

UM SIMPLES "BARNABÉ"

Tinha quase certeza que era um servidor público exemplar, isso o enchia de orgulho, eficiente e com uma inteligência acima da média, apesar de tão elogiáveis atributos considerava o chefe um ser supremo, quase um Deus naquele universo.


Sentia que tudo que emanava deles era sublime e celestial, nisso ele tinha uma fé quase inabalável. O que o chateava às vezes era não entender porque cabras, cabritos, bodes e assemelhados cagavam bolinhas, mas nada o deixava chateado, nem mesmo quando era preterido na hora da promoção.
Tinha um profundo respeito pelo grande chefe que durante esses quase 30 anos, sempre pesaroso vinha lhe comunicar a sua não esperada promoção.
- Desculpe, queria uma pessoa de minha confiança, mas fui voto vencido, aquele cargo que tinha reservado para você foi preenchido pelo nosso diretor.
Ainda tentava argumentar:
- E aquele cargo abaixo que está vago?
O chefete com aquela cara de cretino arrependido dizia:
- Não dá! Está reservado pra estagiária, prima do diretor, não posso nem tocar nesse assunto! Você merece coisa melhor, fica frio!
Sentiu que precisava de uma mudança radical na sua vida, solicitou sua transferência. Mas como tudo nesse meio acontece lentamente, teve que esperar durante algum tempo, anos. Ontem, ao sentar na mesa para começar mais um expediente, recebeu um memorando que a sua transferência com a tão sonhada promoção tinha saído finalmente.
Será que era mesmo verdade?
Nunca saberá realmente, pois o infarto que o vitimou foi fulminante.