quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

DESCASO CONSTANTE

Volta e meia encontramos coisas aqui no Guará que achamos não ser possível que existam em qualquer outra Região Administrativa- RA .



Dando uma voltinha pelo centro, bem ali na QI-11, nos deparamos com um lixão em fase de crescimento. Até abrigos provisórios já estão instalados por lá, onde no meio daquela sujeira e montes de lixo moram algumas pessoas.
O mato está alto, o que favorece muito o aparecimento dessas mazelas por aqui, pois uma antiga corretora de imóveis foi desalojada por força de decisão judicial, e, depois da reintegração, haviam colocado vários tapumes para evitar nova invasão.
Acontece que retiraram os tapumes com a desculpa de logo iniciarem uma construção, chegaram a deixar alguns containers por lá, mas abandonaram, ai, foi o mote para que desocupados, catadores de lixo e assemelhados rapidamente tomassem posse e ali montasse a holding do lixão ao qual me refiro.
Moradores e comerciantes já estão bem incomodados com tais vizinhos e aquela sujeira por lá amontoada, isso sem contar com o mal cheiro que incomoda quem passa na calçada.
Acho que está na hora do pessoal começar a tomar alguma providência, pois do jeito que está não dá pra continuar.
A tal construtora deve ser notificada para que seja recolocado o tapume, retirando a bagunça de lá ou  ao menos defina quanto ao que por ali será construído.
Do jeito que está não pode ficar, pois além do aspecto do abandono expõe os comerciários e moradores a riscos, principalmente para a saúde, alguma providência tem ser tomada com uma certa urgência.