terça-feira, 4 de dezembro de 2018

BOQUINHA - O SONHO DOS INÚTEIS

Essa frente fria que está vindo lá das bandas do Piauí já está me deixando incomodado. Parece que estou no meio do deserto e não encontro um Oásis, o suor escorre...
Saio igual a um zumbi procurando pelo Caixa Preta, quem sabe ele não acha uma solução para aplacar esse calor infernal. 



Parece que adivinhando o meu pensamento, o velho Caixa surge de repente e, com ele, um convite para aplacar a sede lá no “Porcão”,não poderia ser diferente.
O “Galak” o nosso garçom preferido já nos esperava como sempre com aquela alegria de fazer inveja a velório, com a faca na mão, estava tranquilamente tirando a sujeira debaixo da unha do pé que parecia encravada. 
Quando nos viu jogou a faca na mesa lá da cozinha onde preparava o tira gosto e veio ao nosso encontro, resmungando e xingando para demonstrar a satisfação em nos ver. Fiquei tão alegre que quase saio correndo dali, só não corri porque estava cansado, muito suado e o sol lá fora não era muito convidativo. 
Pedimos a nossa cerveja, logo o velho Caixa começou a falar dessa turma que agora sai das sombras e aparece cheia de amor pelo Guará, sendo o real motivo a vontade de emplacar um cargo pra chamar de seu, chegando alguns as raias do ridículo, pois o simancol ainda não foi ligado.
O assunto era como sempre as eleições pra Administrador, pois já tem uma verdadeira legião querendo por todos os meios emplacar essa boquinha, é cada figuraça.
O assunto mais comentado da semana por essa turma que está pleiteando a tão cobiçada vaga(mamar nas tetas do erário, sem fazer quase nada) pois as administrações de todas as regiões hoje só servem de cabide para políticos desempregados abrigarem suas legiões de puxas sacos que sempre estão atrás de um encosto.
Capacidade zero, vontade de ganhar uma boquinha, mil!