terça-feira, 24 de abril de 2018

O TESTE

Lá no Porcão, entre uma cerveja e outra, eu e o Caixa Preta estávamos colocando o papo em dia. Conversa vai, conversa vem, o velho Caixa começou a lembrar quando fez o primeiro concurso para agente da Polícia Federal. As provas eram muito difíceis, mas o pior eram as provas de aptidão física que o cabra passou a me contar.



Diz ele que só três candidatos passaram e iam se enfrentar na prova pra ver quem ficava com a única vaga disponível.
Cada um recebia uma pistola carregada para entrar em uma sala e matar a primeira pessoa que encontrasse sem questionar nada, tudo simples e direto.
O primeiro a entrar foi um goiano, bravo que só. Depois de alguns minutos dentro da sala, um silêncio sepulcral, a porta abriu-se e o goiano saiu arrasado, dizendo que não podia matar a sogra, pois a sua esposa era filha única e os netos jamais iriam perdoá-lo por aquela insanidade. Foi eliminado!
Logo em seguida um cearense entrou na sala, era o segundo candidato. Ouviu-se um grito e, logo em seguida o cabra sai chorando e dizendo que não tinha como executar a sogra, também foi prontamente eliminado.
Foi então a vez do Caixa Preta que entrou logo chutando a porta, ouviu-se diversos disparos, gritos, barulho de móveis quebrados, depois um silêncio que doía. Logo em seguida o Caixa aparece todo suado, ensanguentado dizendo: - Vocês me sacanearam...Colocaram balas de festim e eu tive que matar a véia na cadeirada!!
Esse é o Caixa!!!