sexta-feira, 27 de outubro de 2017

METROSSEXUAIS

Perguntei ao Caixa Preta o que ele achava dos Metrossexuais. O cabra me olhou como quem estava estranhando que eu tivesse coragem de fazer tal pergunta para ele, pois era um legítimo cabra do sertão nordestino e não curtia muito essas modernidades.
-Metro...o que? Perguntou meio assustado.


Respondi: Metrossexuais, esses rapazes sensíveis, chegados numa roupinha de marca famosa, decoram os apartamentos com uma linha ultramoderna e no banheiro tem uma bancada cheia de potinhos de cremes.
Os Metrossexuais talvez não sendo ultrapassados nem por “periguetes” endinheiradas, fazendo inveja as mais vaidosas damas da nossa sociedade.
Gostam de um bom vinho, adoram cheirar uma rolha(eu disse: ROLHA) para sentir o bouquet, gostam de fazer compras e assumir seu lado feminino.
O velho Caixa meio assustado, me olhou espantado perguntando logo se eu estava ficando doido para vir com uma história dessas e gritou:- Sai pra lá com essa conversa! Eu uso Leite Colônia, que compro lá na farmácia. VADE-RETRO, satanás sem rabo!
Foi aí que me lembrei que o velho Caixa passou a odiar um jogador inglês que era o seu grande ídolo, quando o tal jogador andou declarando que gostava de usar as calcinhas da mulher, pra ele morreu.

O cabra é tão invocado que toma banho com dois sabonetes, um pra frente e outro pra trás, não quer correr risco à toa.