quarta-feira, 26 de julho de 2017

A ÁGUA DO MANÉ

Vendo as esdrúxulas explicações dadas sobre o consumo exagerado no Elefante Branco, vulgo Mané Garrincha, tive certeza que o GDF nos vê como um bando de imbecis parvos, onde eles, com suas mentiras todas floreadas e sorrisos falsos, querem nos dar um atestado de burrice com carimbo oficial.


O desrespeito é latente na explicação e na falta de gestão administrativa, onde tentam impingir um monte de asneiras como se verdade fosse. Tudo isso numa cara de pau em rede nacional no horário nobre, tenham dó.
Estamos falando de milhões envolvidos numa conta de água, onde foram (se é que foram) gastos 93 milhões de litros de água, o que daria para abastecer tranquilamente uma cidade com 30 mil habitantes por um mês. Nem o mais iletrado cidadão poderia engolir tal amontoado de desculpas pra lá de esfarrapadas.
Senhores, está na hora de começar a respeitar a inteligência do povo que pode ter cara de idiota, mas não se deixa mais enganar por belas palavras e apresentações rocambolescas recheadas de inverdades para enganar e desviar o foco de imprudência e ingerência ali demonstrados.
Chega de remendos, pois a população está cheia dessa conversa mole de que tudo de errado que aparece faz parte de outras administrações, quando na verdade a incapacidade é latente até em problemas dessa natureza. Assumam seus erros! Esse é o fruto do experimentalismo sem noção instalado no DF, tudo na velha base do “se colar, colou”.
Deve ser instaurada sindicância sim, mas não com membros envolvidos, cadê os princípios de moralidade e impessoalidade da administração pública? Só vejo gente com interesse apenas em salvar o cargo, pois normalmente havendo seriedade já estariam no olho da rua.

É mentira em cima de mentira, o povo não aguenta mais.