terça-feira, 1 de março de 2016

MARCO INÚTIL

Lamentável sob todos os aspectos o crime acontecido em nossa cidade, como sempre na esteira, aproveitadores de plantão aparecem e fazem a festa com a comoção geral que tomou conta da população, sendo rapidamente encampada por aqueles que cheios de leros-leros que vivem a se aproveitar de situações como essa para tentar ficar na vitrine.
Entendo a dimensão do tal crime,que por uma fatalidade tirou a vida de um cidadão da comunidade e isso merece o repúdio de toda a sociedade. Agora querer transformar o local da tragédia em uma praça é uma piada de extremo mau gosto,pois deixaria marcado um lugar que merece ser esquecido depois de tão fatídico acontecimento.
Basta olhar as praças internas das quadras todas abandonadas,entregues em sua maioria ao lixo,ratos e insetos,além dos desocupados que volta e meia as transformam em residências,aproveitando a localização privilegiada das mesmas para fazer delas suas estações de veraneio.
Medidas hão de ser tomadas para que o fato não vire rotineiro no Guará e uma das providências que teriam de ser tomadas é bem simples,basta retirar os dois inúteis pés de Fícus que estão defronte a escola deixando a visão livre.
Querer fazer ali uma praça é cair nas mesmices repetindo aquele famoso ritual de desperdício com dinheiro público, em uma cidade que sente ainda o abalo de outros inúteis que já passaram por aqui deixando inúmeras obras inacabadas, tão inúteis sem que a população afrontada esboce um gesto para demonstrar a sua indignação.