quinta-feira, 12 de julho de 2018

LUOS-UM MONSTRO EM GESTAÇÃO

O Caixa Preta estava meio invocado, resolvi nem perguntar nada, esperei pacientemente ele começar a falar. Depois de algum tempo ele começou a desfiar o motivo da sua revolta.



Pra mim, sofre pressão quem trabalha de sol a sol, come quentinha, tem que enfrentar todos os dias um transporte público de péssima qualidade, aguentar muitas vezes esporro do chefe e ainda ganha aquele minguado salário-mínimo todo mês.
Jogador de futebol ganha muito bem, vive uma vida nababesca, nada produz e vem com essa de se sentir pressionado, tenham dó.
Mas é sempre assim, essa criminosa inversão de valores, enquanto a pátria de chuteiras disputa a copa do mundo, a pátria de ferraduras fica tranquila, esperando as coisas melhorarem. É a vida que segue.
Aqui no Guará não poderia ser diferente, aproveitaram essa entressafra pra fazer uma audiência pública, o assunto é o mal ajambrado projeto da Lei de Uso e Ocupação do Solo - Luos, que já foi apelidado com muita propriedade de Frankenstein, pois não passa de uma colcha de retalhos muito mal feita, projetada dentro de gabinetes, sem o mínimo de conhecimento sobre a nossa cidade.
O que se viu por lá foi muita gente querendo regularizar alguma área invadida ou descolar uma licença sem limites para quiosques e construções irregulares, sob a alegação enganosa de geração de empregos, mesmo que para isso o Guará vire uma zorra total.
A coisa é tão sem propósito que até plebiscito querem fazer pra sacramentar a farra das invasões por aqui, mandando de vez a Lei Orgânica pro espaço.
Onde estão guardados os dois anos de debates, audiências, discussões e conferências nas quais esses assuntos foram tratados?
Será que foram convenientemente descartados para atender outros interesses?