terça-feira, 26 de março de 2019

TRANSPEQUI

Por falta de projetos esse governo resolveu desenterrar algumas das ideias de Joaquim Bezerra de Ouro, agora a bola da vez é a famigerada Transpequi que é apresentada como a solução de mobilidade entre o entorno e o DF.



O primeiro projeto foi suspenso por suspeita de superfaturamento, hoje ao custo talvez de R$10 bilhões, está despertando o interesse de construtores e políticos para talvez garantir um futuro promissor a todos.
Essa obra, deve ser mesmo uma obra, pois de longe já fede pra cacete, deve se arrastar ao longo de décadas tal qual a outra bomba chamada de Corumbá IV, lembram?
Todo governo reativa, mas nunca termina, um mistério maior que o assassinato de Ana Lídia, o dinheiro simplesmente é jogado no ralo e nada de conclusão, mas pra que se preocupar? Tudo sairá do nosso suado dinheirinho.
A conclusão do ramal Norte do metrô, talvez o gasto fosse menor e atenderia uma grande parte da população, talvez acabando com os diversos gargalos de mobilidade por aqui, mas como o objetivo não é esse pra que se preocupar?
Isso sem esquecer que o trecho onde pretendem que a Transpequi trafegue,é um trecho cedido a uma concessionária pelo governo federal, o que levanta algumas dúvidas quanto a implantação da mesma.
Então chegamos a conclusão que quem mais lucrará com mais essa aventura, não será a população do DF, apenas os amigos do rei participarão desse lauto banquete.
O povo, bem, o povo como sempre é apenas um mero detalhe.

2 comentários:

  1. Quando fomos convocados pelo GDF(1993) para rever o projeto oficial do Metrô dentro do Plano Piloto e que resultou no seu traçado atual no canteiro entre a pista central e a pista local(W),e que resultou na incorporação desse transporte ao "Eixo Rodoviário Tronco" do Plano Piloto (trazendo ainda consigo enorme economia na sua construção), previa, na nossa proposta aprovada, a extensão do sistema ao Eixo Rodoviário Norte e de uma futura linha no Eixo Monumental(linhas com conexão numa Estação Central junto da Plataforma) , isto inteiramente obediente ao Tombamento da Cidade. Houvesse o real interesse de resolver o sistema de transporte coletivo da Capital bastaria estudar o que foi proposto pelo autor do Plano, naturalmente com alterações necessárias para atender ao inchaço INDEVIDO da cidade, onde a Plataforma Central seria o ponto de conexão das linhas de ônibus urbanas.A criação agora proposta não passa de mais uma obra para que"firmas interessadas"visem apenas abocanhar lucros às custas dos moradores e usuários dos transportes coletivos da cidade.

    ResponderExcluir