terça-feira, 27 de junho de 2017

OS VILÕES

Essa semana que passou uma coisa me chamou atenção. Com grande alvoroço, a Agefis fez uma espetacular blitz contra os verdureiros da cidade que vivem na informalidade. Sim aqueles que todos os dias vendem verduras e frutas nas praças do Guará, pois, apesar da qualidade duvidosa de seus produtos, aliados a um baixo preço, os verdureiros contam com a admiração dos fregueses do dia a dia.




Será que são esses verdureiros os verdadeiros vilões da nossa cidade, tão cheia de problemas maiores, onde a informalidade é uma constante? Olhando em volta temos a resposta, mas continuam sem solução pois, há uma falta de interesse real para resolvê-los.
Dando uma volta pelo Guará nos defrontamos com as verdadeiras aberrações que ha muito esperam resoluções e até agora nada, das duas uma: não há interesse ou não dá voto.
No caso dos verdureiros, parece que o interesse em retirá-los são outros, além do cumprimento de leis, pura e simplesmente.
Existem muitos interesses por trás dessas manobras que, miraculosamente, de vez em quando aparecem por aqui. Sei que o comércio formal tem que ser protegido, mas não com ações como essas. Não são os verdureiros que estão quebrando o comércio local, disso temos certeza, mas o excesso de informalidade que existe no Guará, terra dos quiosques, puxadinhos e invasões que reinam e mandam na cidade.

Os problemas do Guará não são os verdureiros, perguntem aos moradores que reclamam de muita coisa e garanto que esses pequenos comerciantes não chegam a ser citados.