terça-feira, 13 de junho de 2017

INTOCÁVEIS

Sempre quando encontro o meu amigo Caixa Preta tenho que ouvir alguns casos aberrantes que acontecem por aqui. O Guará é realmente o que se chama uma cidade sem lei, pois a lei só é aplicada aos inimigos do rei.


Basta ver a vergonhosa transformação que sofrem determinados quiosques. Tem um no Guará I que parece ter fermento na composição da massa usada na construção, como cresce o trambolho! Dia desses levei até um susto, pois pensei que tinham trazido a Bamboa para cá.
Para piorar, parece que o dono, certo da impunidade, está fazendo umas modificações a seu bel prazer sem ser importunado de maneira nenhuma. Do jeito que vai, logo estará maior que um clube que tem ao lado dessa geringonça.
Essa questão dos quiosques aqui no Guará virou um investimento muito bom, pois o atual dono desses quioscão tinha um restaurante lá no Polo de Modas, mas, para fugir dos impostos, montou o tal quiosque que é muito mais barato. E agora, vendo que a coisa é mole, resolveu fazer umas reformas, todas fora dos padrões das leis que regem os quiosques nas regiões administrativas. As leis existem, mas aqui fazem questão de ignorar, principalmente se forem dos chegados.
Pelo tamanho que o quiosque está, parece que logo teremos um belo hotel fazenda com pesque e pague, piscina, parque infantil e outras “cositas mas”.
O pior de tudo é a localização do monstrengo, bem na entrada da quadra, onde o fluxo de carros é muito grande.

Com a palavra a Administração.