quinta-feira, 8 de setembro de 2016

LAZER PERIGOSO



Era para ser mais um dia de lazer nas ruas centrais do Guará II. Era. Parece que os deuses do relaxo fizeram acontecer coisas inusitadas, tirando tudo do roteiro da alegria, brotando uma ponta de decepção numa coisa que parecia perfeita.
Me parece que os principais responsáveis pela organização da rua de lazer estão largando de mão as coisas e deixando por conta do acaso tudo acontecer.


Quando se fala em rua de lazer, logo nos vem a mente as pessoas andando ao lado dos seus pequenos e futuros donos do pedaço, casais passeando de mãos dadas observando grupos de capoeira ou amigos de skate e patins colorindo a rua, aquele congraçamento salutar que deve existir entre pessoas do mesmo bairro ou cidades. Porque não dizer visitantes que chegam para tornar o nosso último domingo do mês muito melhor, dentro do que preconiza a lei que instituiu tão prazeroso lazer.
Mas parece que algo saiu do controle e fatos pra lá de estranhos aconteceram. Uma etapa de ciclismo, patrocinada por uma rádio Fm com total conivência da administração (demonstrando um desrespeito à comunidade liberou o tal evento), ocupou as pistas com corrida de ciclistas no nosso espaço sagrado, colocando em risco crianças, jovens, idosos ou qualquer um que se atrevesse a cruzar o caminho, o que provocou revolta na população que não viu com bons olhos a realização de tal evento, que poderia muito bem ser disputado em outro local e data.
A rua de lazer, entre outras coisas é para demonstrar o respeito dos nossos dirigentes por aqueles que pagam o seu salário e a quem devem toda a atenção.

Portanto não esqueçam a rua de lazer é do povo!