sábado, 6 de fevereiro de 2016

O REI ESTÁ NU

O Carnaval se aproxima,todo mundo atento à entrada da Mangueira,que promete entrar rasgando sem dó nem piedade,como não sou muito chegado nos festejos de Momo,resolvi com o meu amigo Caixa Preta dar um “rolê” pelo Guará para sentir o clima.
Com esse calor que está fazendo o deserto do Saara parecer apenas um lugar quente,o Guará parece que pra não ficar em segundo plano,recebeu uma frente fria do Piauí que está fazendo a alegria dos donos de quiosques e botecos da região.
Foi nesse cenário que eu topei com o Caixa Preta,já no espirito carnavalesco parecia que o cabra estava tomado pelo clima de Momo.
Rumamos para o nosso reduto,o velho e amado “Porcão”,onde Galak nos aguardava com os amáveis coices de sempre,uma gentileza de fazer inveja ao ditador coreano.
Aqui no reino de “Tão,Tão Distante” tudo parece fazer parte de um tremendo conto de fadas,onde o Príncipe cercado pelo Conselheiro Real,a Bruxa,Moleque Saci e os bobos da corte em geral todos dando pitacos,que talvez o nobre príncipe no seu deslumbramento,sempre sorridente a tirar fotos para enfeitar o álbum do reino,não perceba que nada e pouco de proveitoso está sendo feito ou pensado,pois muitas dessas figuraças há muito já gravitam como urubus em volta do palácio.

Com isso o reino está cada vez mais esburacado,sujo e inseguro,com caçadores(Bandidos) sempre atrás de sua caça( População), no afã de torná-la mais uma nota nas tristes estatísticas do pequeno povoado,onde os aldeões perplexos não sabem o que fazer,só resta esperar que alguém um dia desperte dessa passividade e diga que o príncipe está nu. Pois a roupa nova do rei é apenas uma parábola para mostrar que por trás dessa fantasia,o que existe na verdade é apenas o fruto da nossa mente acomodada,sempre com ar de conformação para não ferir o “status quo”,mas a realidade é dolorosa ou seja,o buraco é mais embaixo.