terça-feira, 15 de maio de 2018

SEM PREJUÍZO

O nosso destino não podia ser outro, o sempre amado Porcão, onde tudo é ruim, desde o garçom até a comida preparada pela mãe do garçom e proprietária da espelunca.
Mas tem uma coisa boa, a cerveja servida por lá sempre chega estupidamente gelada na mesa, isso não tem preço, e sempre mandamos pendurar.



O velho Caixa estava animado, queria contar o que aconteceu com ele na semana passada, quando saiu pela cidade a procura de uma distribuidora de bebidas para aplacar a sede.
Pegou a bicicleta da mulher e foi direto pra distribuidora de um chegado, onde comprou uma garrafa de cachaça, mandou pendurar e colocou na cesta do guidão da bicicleta.
Mas logo imaginou que poderia cair e terminar quebrando a garrafa, resolveu então tomar a garrafa toda de uma vez por ali mesmo.
Talvez tenha sido a decisão mais sábia, segundo ele, porque no caminho pra casa caiu umas dez vezes.
Apesar da cara toda arranhada, por causa das quedas durante o trajeto, diz que não teve prejuízo.